::Advogado mente para safar médico imprudente::

O advogado contratado pelo médico ginecologista, que foi o responsável pelo erro médico que vitimou Karla Beatriz Magalhães Schwan, na cidade de Rio Branco- AC em sua petição a justiça mente descaradamente. Na ânsia de defender o seu cliente atacou a moral da vitima, colocando perante a corte como se ela fosse uma desocupada.

No mês de setembro de 2.005, o cirurgião pediu a internação de Karla Beatriz Magalhães Schwan, que segundo ela, o medico garantiu que os procedimentos adotados seria simples e dentro de poucos dias estaria com a sua vida voltada a normalidade e que a retirada do cisto no ovário seria feita de uma forma segura e sem complicações.

Durante o procedimento cirúrgico a mesma teve o ureter perfurado e conseqüência foi o aparecimento de uma outra doença a renal. Com o caso se agravando e a paciente não tendo a quem recorrer foi aconselhada por uma outra profissional a sair da cidade, pois o seu caso estava se agravando e seria mais prudente buscar um especialista fora de Rio Branco.

O caminho escolhido foi à cidade do Rio de Janeiro, com a barriga inchada, pois com o erro médico a urina estava retida no interior e a aparência era que estava gestante próximo dos 8 meses. Ao visitar um conceituado médico carioca, Karla Beatriz Magalhães Schwan, foi detida pelo profissional médico e fico trancafiada na clinica médica a espera de uma ambulância, para um hospital, pois o seu estado era gravíssimo. No momento da internação o profissional que examinará não sabia o certo o que escondia por traz do caso Karla Beatriz.

Após os procedimentos adotados por uma junta médica, que foi formada as presas para estudar o caso da mulher que foi vitima de um erro médico na cidade de Rio Branco, fora constatado que a mesma tinha em seu interior a barriga cheia de urina que se demorasse mais de três dias iria comprometer o seu organismo e poderia a vir a perder os rins e o fígado por causa da imprudência medica praticado por um medico ginecologista na cidade de Rio Branco – AC.

 

Outro lado

O medico ginecologista, foi procurado pela equipe de reportagem para comentar sobre as denuncias que está sendo alvo; infelizmente não quis se pronunciar. O advogado de defesa do profissional médico ele nega o erro e que os procedimentos adotados por ele foi o correto e que a reclamante está tentado extorquir dinheiro e tirar vantagens, pois em sua concepção ele é bem conceituado na cidade de Rio Branco e até no estado do Acre.. Na justificativa, ele se apóia para justificar que, “nas visitas que a senhora Karla Beatriz Magalhães Schwan, fazia constantemente ao meu consultório numa me falou que trabalhava e nunca vi a sua carteira de trabalho. Como ela pode afirmar que exercia uma atividade profissional?”

Em visita a faculdade IESACRE, mais precisamente ao setor de departamento de pessoal daquela empresa, foi constatada que Karla Beatriz Magalhães Schwan trabalha na empresa a mais de dois anos como auxiliar de bibliotecária e que após os procedimentos irresponsáveis do médico ginecologista não está em condições de exercer suas atividades profissionais novamente e continua afastada de suas funções pelo INSS. “ Tentamos manter ela nos quadros mas se tornou inviável para a empresa, pois ela faltava muito. Então aconselhamos a ela dar entrada junto ao INSS para cuidar do seu caso. A nossa intenção é que ela volte a trabalhar restabelecida de sua saúde” – informa Sérgio Florido – diretor geral do IESACRE.

No endereço abaixo acompanhe as denuncias feitas ao Conselho Regional de Medicina e ao Ministério Público.

http://juliotake.blogspot.com

<<Voltar<<

 

Home | O que é | O que fazer | Casos | Artigos | Álbum | Leis
2005 - 2016 - erromedico.org - Direitos Autorais Reservados - Webmaster: Vanderlei Oliveira