Erro médico – Caso Waldemiro Salomão Neto
Por Chafiha Felippe Jabour Salomão – Juiz de Fora - MG


Waldemiro Salomão Neto,
vítima fatal de erro médico

::Meu filho, Waldemiro Salomão Neto – 22 anos - deu entrada no Hospital Bom Pastor em Juiz de Fora – MG, para a realização de uma gastroplastia (cirurgia para redução de estômago), no dia 21 de novembro de 2000.

::A operação ficou a cargo do médico Dr. Valentin Carlos Costa e, de acordo com exames preliminares, o rapaz tinha todas as condições físicas e psicológicas para que fossem realizados os procedimentos cirúrgicos, mas uma seqüência de erros – tanto do médico, como da anestesista -, causaram um intenso sofrimento ao paciente.

::De início, a cirurgia, que levaria normalmente de 3 a 4 horas, estendeu-se por cerca de 9 horas. Logo após, Waldemiro foi levado á UTI do mesmo hospital, quando a família notou que o mesmo apresentava queimaduras de terceiro grau nas nádegas causadas por uso de um bisturi elétrico de forma inadequada. E sofrendo com dores na região afetada e também na perna direita, no dia seguinte o paciente é removido da UTI para o quarto.

::Para aumentar ainda mais o sofrimento, descobriu-se que, devido à cirurgia, o intestino de Waldemiro estava obstruído (inversão da alça intestinal), mas o Dr. Valentim, que teria, segundo literatura médica, 96 horas para resolver o problema, fez a opção de “deixar a natureza agir”, opção essa acabou por complicar ainda mais o caso.

::Duas outras cirurgias foram realizadas, porém nenhuma mexeu no cerne da obstrução, não resolvendo o problema, o que levou o paciente á mais sofrimento.

::Uma junta médica foi convocada pela família em desespero, porém o Dr. Valentim negou-se até mesmo á fazer uma tomografia sugerida por um dos médicos presentes, assumindo assim os riscos.

::Na quarta cirurgia, realizada em 16 de fevereiro de 2001, fez-se a técnica de By-pass no intestino do paciente, a cirurgia que deveria ter sido feita até em 96 horas depois de detectado o erro. Mas, para agravar o quadro, a falta de habilidade de uma anestesista que desentubou o paciente enquanto a sutura era realizada, fez com que líquidos intestinais chegassem aos pulmões. Nada foi feito para drenar esse líquido e um pneumologista só foi chamado quatro dias depois, quando o caso praticamente não tinha mais solução.

::Levado á UTI com muitas dores no peito, ainda reage á três paradas cardíacas, mas é vencido, vindo á falecer nesse mesmo dia – 20 de fevereiro de 2001 – ás 7:25Hs.

::Devido à seqüência de erros, pelo descaso e pela total falta de responsabilidade, levamos o caso á justiça cível e criminal. O médico – Dr. Valentim Carlos Costa e a médica anestesista Dra. Maria de Lourdes Tavares Vale - foram denunciados pela promotoria, por crime qualificado, no dia 18 de janeiro de 2005. Esperamos, ansiosos, por um desfecho digno e justo.

Leia mais:

A denúncia pelo Ministério Público
O caso Waldemiro na imprensa
Chafiha e Waldemiro Salomão Júnior - Texto 1
Chafiha e Waldemiro Salomão Júnior - Texto 2
Chafiha Felippe Jabour Salomão e família - Texto 3
Na asas de um Anjo - Chafiha Felippe Jabour Salomão
Palavras de Santo Agostinho
Documentos relativos à perícia médica do caso Waldemiro
Documentos relativos à sentença final do caso Waldemiro
 
Home | O que é | O que fazer | Casos | Artigos | Álbum | Leis
2005 - 2016 - erromedico.org - Direitos Autorais Reservados - Webmaster: Vanderlei Oliveira